23 de janeiro: Beata Josefa María de Benigánim

  • Imprimir
beniganim00a
beniganim00 200...

Sua vida foi um prodígio de graça e uma graça de prodígios.


Simples, humilde e de qualidades intelectuais medíocres, seu dom de conselho e seus conhecimentos teológicos causavam admiração.

linha 650
 

A beata Josefa nasceu em Benigánim (Valência, Espanha), no dia 9 de janeiro de 1625, de família modesta.

 

Ficou órfã de pai quando era ainda muito jovem. Superadas algumas dificuldades, ingressou como irmã leiga no mosteiro das Agostinianas de Benigánim, a 25 de outubro de 1643.

 

Este convento pertence à observância descalça, fundada dentro da Ordem pelo Arcebispo São João de Ribeira, na diocese de Valência, em 1597.

 

Sua vida foi um portento de graça e uma graça de portentos. Simples, humilde, entregue infatigavelmente aos trabalhos e serviços da comunidade, era um espírito de eminente contemplação.

 

 

De qualidades intelectuais medíocres, mais que isso, analfabeta, causavam admiração seu dom de conselho e seus conhecimentos teológicos.

 

Por causa disso, e também pelo extraordinário dom do discernimento, seu conselho era procurado pelas pessoas mais importantes e mais influentes da Espanha.

 

Seus êxtases surpreendiam a todos. Diante destes fatos, promoveram-na à categoria de irmã de coro a 18 de novembro de 1663.

 

Ela morreu a 21 de janeiro de 1696, na festa de sua patrona, Santa Inês. Seu nome de batismo foi Josefa Teresa.

 

Na Ordem chamou-se Josefa Maria de Santa Inês. Ordinariamente era chamada Madre Inês.

 

Beata Joseja foi beatificada por Leão XIII, a 26 de fevereiro de 1888. Seu confessor, frei Filipe Benevento, pároco de Benigánim, escreveu uma biografia autorizada da Beata Josefa Maria. Seus restos se conservam no convento das Agostinianas de Benigánim.

 

. . . . . . . . . .

 

A título de curiosidade, transcrevemos abaixo notícia da imprensa espanhola de 2002:

 

Buscam corpo incorrupto


de uma beata espanhola

 

A publicação de um livro sobre a destruição de templos durante a Guerra Civil, revelou que os restos incorruptos da beata Josefa Maria de Santa Inês foram escondidos em 1936 para evitar sua profanação, porém ainda não foram encontrados.

 

Andrés de Sales recopiou em um livro mais de 150 fotos inéditas de esculturas patronais e templos destruídos durante a Guerra Civil em Valência.

 

A obra, de 350 páginas, é intitulada "Escultura patronal velentina destruída em 1936", inclui fotografias de operários "demolindo templos a marteladas, para o que inclusive lhes pagavam um jornal".

 

Segundo a Agência Avan, o corpo da beata Josefa Maria de Santa Inês, religiosa nascida em 1625, "suportou o macerante passo do tempo e a corrupção até 1936 em uma urna de cristal e bronze dourado em Benigánim (Valência).

 

Porém estalou a Guerra Civil, e diante da onde de vilência que destruiu igrejas e imagens sagradas - em Valência ficou reduzido a cinzas noventa por cento do patrimônio artístico da igreja -, o venerado corpo da beata foi ocultado para preservá-lo da profanação.

 

A pessoa que o ocultou certamente o fez com consciência, posto que ainda não foi encontrado.

 

Josefa Maria de Santa Inês foi elevada aos altares pelo Papa Leão XIII em 26 de fevereiro de 1896.

 

"Seus restos se crê que foram ocultados em 1936 porém ainda não se pôde localizar" explicou De Sales. Por este motivo, os fregueses de Benigánim fizeram uma reprodução do corpo jazente que foi abençoado em 1944.

 

Madri, 24 de março de 2002 (ACI)

.

.....

beniganim02

A beata
Maria Josefa
é natural de
Benigánim,
um município
da Província
de Valência
(leste da
Espanha) 

.

beniganim03


Interior 
do atual 
convento
das freiras
agostinianas
descalças

.

 

O movimento
descalço
tem os mesmos
objetivos
espirituais
que o movimento
recoleto:
uma vida
de mais
interioridade
e austeridade

.

beniganim04

Papa 
Leão XIII

.

beniganim05

O retiro
e o silêncio
são dimensões
integrantes da
espiritualidade
descalça

 

linha 650

beniganim00b beniganim00c

 

 

Enquanto caminhavam, Jesus entrou num povoado, e certa mulher, de nome Marta, o recebeu em sua casa. Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor. Aproximou-se e falou:

 

 

"Senhor, não te importa que minha irmã me deixe sozinha com todo o serviço? Manda que ela venha ajudar-me!"

 

 

O Senhor, porém, respondeu:

 

 

"Marta, Marta! Você se preocupa e anda agitada com muitas coisas; porém, uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte, e esta não lhe será tirada."

 

Evangelho de Lucas, 10, 38-42

.....

 

beniganim01


Ó Deus, que adornastes a beata Maria Josefa Maria com a inocência da vida, a simplicidade de coração e os dons admiráveis de vossa graça, fazei que, com seus exemplos, possamos dar um autêntico testemunho de fé com a humildade de nosso serviço.

 

Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amén.

linha 650