A Vocação do Leigo / do Catequista

leigo01 200Mês Vocacional
Dom Vocacional dos leigos e dos Catequistas

 

No quarto domingo de agosto a Igreja celebra todos os ministérios dos leigos.

Isto é, a vocação de todos os batizados.

No último domingo de agosto a Igreja celebra também o dia do catequista. A catequese é o sucesso de Jesus, o bem supremo da Igreja, a humanização e evangelização das pessoas, real colaboração na renovação da sociedade.

Tempo propício para se refletir sobre o significado do leigo e do catequista e sobre sua importância na vida eclesial.

 

Quarto domingo de agosto: é nesta data que se comemora o Dia do Catequista, daí a comemoração do dia da vocação do cristão leigo na Igreja, tanto na sua presença na Igreja como também em seu testemunho nos vários ambientes de trabalho e vida. O dia do cristão leigo voltará a ser comemorado no último domingo do ano litúrgico, domingo de Cristo Rei.

leigo02 200Vocare , usado desde Cícero e César, donde deriva vocatio significa chamar, convidar, É neste convite que repousa a vocação do leigo. Mas não se pode falar em leigo e sua vocação sem recorrer a Constituição Dogmática “Lumen  Gentium(LG)” que, no Vaticano II, delineou o Povo de Deus -  a Igreja, cuja cabeça é Cristo – no qual somos todos inseridos pelo Batismo . Nesta Constituição caracterizam-se os leigos como  “todos os cristãos, excluídos os membros das ordens sacras e do estado religioso” daí se deduzindo as duas grandes vocações eclesiais: a vocação para o serviço religioso e a vocação para a família. Ambas se voltam ao  cumprimento da missão: a  Missão de Cristo.

leigo03 200Esta Missão para a qual somos todos chamados (vocatus) engloba três bem definidos aspectos: sacerdotal, profético e real.  Quando o leigo vincula sua vida à missão, Cristo – o Sumo Sacerdote – “concede ao leigo uma parte de seu munus sacerdotal” (LG nº 24) cujo exercício se faz através de participação nas assembléias e / ou  equipes litúrgicas.  O munus profético de Cristo é exercido principalmente pela ação do Povo de Deus e o leigo o exerce no testemunho  da fé, no exemplo de vida e no anúncio da Palavra.  Quanto ao munus de reger (aspecto real) o leigo dele participa servindo ao próximo em suas necessidades com sua caridade e participação nas organizações assistenciais  seculares .

leigo04 200Destaque especial na vocação do leigo deve ser dado à Família, santuário onde a vida matrimonial e familiar se transforma em concreto anúncio da Palavra e “onde os cônjuges  passam a ser os primeiros mestres da fé, formando uma espécie de Igreja Doméstica” ( LG nº 11). E a oração neste aspecto advém do Sacramento  do Matrimônio onde o casal recebe de Deus a missão de constituir a célula primaria e vital da sociedade ( Decreto Apostolicam Actuositaten) (LG nº 11)

Não se pode concluir este modesto enfoque sem citar o binômio “discípulo – missionário”, que aparece no Documento de Aparecida (DA nº 1) desde as primeiras palavras e se repete  103 vezes ao longo do texto. Recorda o documento aos fiéis “ que em virtude de seu batismo, são chamados a ser discípulo e missionário de Jesus Cristo (DA nº10).

Enfim a expressão sintetiza a vocação do leigo, discípulo que é chamado por Jesus para fazer parte “dos Seus” e como missionário enviado para buscar novos discípulos como lemos em Mateus: IDE – FAZEI DISCÍPULOS  MEUS

 

Colaboração: Severino José da Costa Netto

Edição para o site: frei Mason, oar

  

catequista2015 650

 

O último domingo de agosto é também o dia do catequista. É com admiração, reconhecimento e gratidão que a Igreja celebra esta festividade. A catequese é o sucesso de Jesus, o bem supremo da Igreja, a humanização e evangelização das pessoas, real colaboração na renovação da sociedade. A catequese é o útero da mãe Igreja, onde o Espírito Santo gera novos cristãos, como gerou Jesus no seio de Maria. Sendo a Igreja Corpo de Cristo, a catequese é o seu sangue e vitalidade.

 

catequista02 400 catequista03 240

 

Bendito seja Deus pelo empenho e dedicação de cada catequista, pois ser catequista é assumir o batismo e vivenciá-lo na comunidade cristã. Ser catequista deve nos encher de alegria, pois somos participantes da construção da vida dos catequizandos e da sociedade de paz e de justiça. Nossa resposta ao chamado de Jesus provoca em nós um encantamento pela Palavra, pois Jesus é a Palavra viva que o mundo espera.

 

 

 

catequista04 650

 

 

 

Ser catequista é ser uma pessoa vocacionada que trabalha pelo Reino de Deus, que assumiu em sua vida o discipulado de Jesus. Segundo o documento de Aparecida, “o discípulo é alguém apaixonado por Cristo, a quem reconhece como o Mestre que conduz e acompanha” (DAp. 277). Portanto, os catequistas são convocados por Deus, mediante a Igreja, para desempenhar a missão evangelizadora da educação dos catequizandos na fé e de conduzi-los a vivência na comunidade eclesial.

 

catequista05 500

 

Ser catequista é uma missão importante, confiada por Cristo. Mas é também um desafio, especialmente neste mundo com tantas convicções e nestes tempos de mudança de época. Ser catequista é fazer a experiência de uma imensa alegria, a vivência de um grande acontecimento e  a fonte de uma renovação e de um amadurecimento pessoal na fé.

 

catequista06 320 catequista07 320

 

Para assumir a Catequese, é preciso uma formação permanente para que a vontade inicial não seja abafada pelos desafios e dificuldades do caminho e, principalmente, porque o catequista fala em nome da Igreja, que o envia e que deve dar todo o suporte para que a atividade catequética seja conduzida como trabalho de um bom semeador.

 

catequista08 650

 

Posso imaginar com que zelo você catequista prepara sua catequese e com que esmero você diariamente deixa-se catequizar pela Palavra de Deus e pela oração. Pela sua importância, a catequese é um verdadeiro ministério. Somos todos convidados a olhar para o “catequista Jesus de Nazaré” e com Ele aprender a ser discípulos missionários da Palavra de Deus. O catequista, seguidor de Jesus, terá todos os dias a Bíblia na mão para fazer a leitura orante. Precisamos catequizar nossos próprios corações, ou seja, primeiro falar “com Deus” , para depois falar “de Deus” .

 

FELIZ E ABENÇOADO DIA DO CATEQUISTA!

 

                                                                      Irmã Carmelita Tenfen
                                                                 Coordenadora de Catequese
 

 Edição para o site: frei Mason, oar