Serviço espiritual e social com os anciãos em Caracas, Venezuela

  • Imprimir

ancianos00 200Ordem dos Agostinianos Recoletos
Caracas, Venezuela

 

Cerca de 50 anciãos venezuelanos acodem todas as sextas-feiras ao meio-dia para almoçar na paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, sob os cuidados dos Agostinianos Recoletos, cujo serviço é tão necessário.

ancianos01 650

 

O padre frei Alejandro Martínez, pároco da paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, localizada no bairro Las Mercedes na capital da Venezuela é parte de uma das tantas obras sociais da família agostiniana recoleta que busca enfrentar o problema da fome e desnutrição neste país. 

Cerca de 45 anciãos são pessoas fixas, a maioria da paróquia, se estão registrados e se acercam para saciar a fome que por dias se acumula. Porém, o número de assistidos não é limitado aos que estão na lista. Outras pessoas se procuram o auxílio com o mesmo fim são atendidas também. O número pode chegar a 60 adultos maiores atendidos.

Segundo relatos, na atividade solidária se reparte um cardápio de comida quente, o qual varia a cada semana de acordo com a disponibilidade dos alimentos. Além da comida quente, repartem uma merenda que pode ser desde um café com leite até um copo de aveia com bolachas doces.

 

ancianos02 650
Frei Alejandro, quem se encarrega de ajudar os anciãos na paróquia de Guadalupe de Caracas

 

 

“Todas as sextas-feiras neste lugar, conseguimos a comida, fazemos uma pequena oração para que não seja somente uma ação de entrega de comida, para que eles se integrem e, a partir daí, agradecer também pelo alimento que estão recebendo”, explicou frei Alejandro Martínez. 

O representando da família agostiniana Recoleta detalhou que o ideal do serviço é atender mais pessoas e ele espera que se possa ampliar o projeto para poder acolher outros adultos maiores que realmente precisam de ajuda.

“Aspiramos chegar a 90 ou até 100 pessoas, mas terá que ser em outro lugar porque o espaço físico aqui não permite acolher tanta gente assim. Também temos o objetivo de melhorar a qualidade do alimento”, considerou o pároco.

 

Unidos para partilhar o pão

Os idosos não são necessariamente da comunidade, mas eles chegam também de outras paróquias da capital buscando a ajuda necessária. Sabemos que esta não é a única ajuda que buscam já que precisam resolver a questão da fome no resto da semana em outros lugares que também oferecem este tipo de atividade social.

 

ancianos03 650

 

Os organizadores também colaboram com seu próprio dinheiro para poder levar adiante o projeto em conjunto com a paróquia que, por sua vez, também colabora com o serviço. Ajuda também chega de outras pessoas da comunidade que doam algum alimento, ajuda fundamental e imprescindível para gerar o benefício aos idosos.

A senhora Carmen Carrasquero, por exemplo, uma mulher de 80 anos de idade, já tem 14 anos que se beneficia da ajuda. Ela diz que o benefício é essencial para subsistir; porém, afirma ela, o alimento maior que recebe é o espiritual.

“Oxalá pudéssemos fazer isto diariamente. Eu venho não só pelo alimento e os extras, mas também pelo momento de oração e partilha. Aqui todos somos irmãos e a necessidade de vir aqui nos alimenta também. Todos os organizadores se entregam com amor e sempre temos esperança neles. Sem dúvida, a sexta-feira é um dia de paz”, contou a beneficiada.

Outra das ajudas que é bastante visível na paróquia da área metropolitana de Caracas é a entrega bimestral de um kit de higiene pessoal para os idosos, ação que esperam sustentar no futuro, apesar da realidade de muitas vezes não conseguirem os produtos de primeira necessidade.

 

ancianos04 650

 

Sem dúvida, os anciãos são só alguns entre os mais afetados pela crise que atravessa a Venezuela. Ante tal dura realidade, a família agostiniana Recoleta continua esforçando-se para atender aos mais vulneráveis e desta maneira, ser uma luz de esperança.

 

Fonte: Site da Ordem
Tradução e edição: Frei Mason